quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Duas cabeças



Sinto-me estranho.
É como se em mim existissem duas cabeças.
Uma faz-me ser ciumento, traiçoeiro, rezingão, provocador...
caniche
Outra, permite-me ser meigo, obediente, companheiro,
como qualquer outro cão.
Mas, para além disso, há mais qualquer coisa dupla que eu
ainda não consegui perceber bem.

2 comentários:

LisbonGirl disse...

Mal du siécle, outra vez! Spleen, Canichinho, nada de mais. Lê Mário de Sá Carneiro ou Álvaro de Campos! Ou admite que a bola debaixo do sofá é a Transcendência!
Festinhas e sopros carinhosos nesse focinhinho lindo!

escorpiaotenhoso disse...

Caro Caniche V,
Anmtes duas cabeças que seguir a minha triste sina de ter apenas uma cabeça virtual, como todos os cães defuntos dados a lucubrações...

CHARLIE (ex-Cocker dourado)