sábado, 3 de fevereiro de 2007

Hamburgo Bar




Estávamos no Largo da Academia Nacional de Belas Artes e decidimos dar um passeio.
Descemos até ao Cais do Sodré e fomos dar ao "submundo" da noite lisboeta.
Ponto de encontro de marinheiros e outras gentes, o Hamburgo Bar pertence a um alemão, gigante e simpático, que aqui ancorou há 28 anos. A sua mulher russa lê Tolstoi e Dostoievski enquanto, ao ritmo do rock alemão ou da música africana, as luzes vermelhas vão apagando e acendendo.
Os clientes trazem bandeiras, nas quais deixam as suas assinaturas que se alastram até às paredes, mesas, bancos, tecto, chão, escadas... por toda a parte!

6 comentários:

LisbonGirl disse...

Caniche e Teddy "na night"! Portem-se bem! O bar é bem bonito! tem ar de bar do Mar!

caniche vagabundo disse...

Lisbongirl, o interior do bar é uma relíquia do horror ao vazio e do "kitsch"... mas tem qualquer coisa de sublime (kantiano)!

escorpiaotenhoso disse...

Que sorte do Caniche Vagabundo e do seu companheiro preto. Eu nas minhas missões angélicas não estou autorizado superiormente a entrar nesses lugares onde supostamente não são admitidos cães. Mas sempre tive curiosidade, tipo fruto proíbido. Vou agora remeter este post para as minhas instâncias superiores a ver se há alteração nas directrizes celestiais...

CHARLIE II - o cão-anjo

Anónimo disse...

podem dar-me mais informações sobre o hamburgo? o bar é tipo henessy's qualquer um pode lá ir ou é bar de alterne?

caniche vagabundo disse...

O "HamburgoBar" é um bar de marinheiros, tem o ambiente próprio da zona... mas o Sieg (dono do bar) é boa pessoa e atende bem. Só lá fomos a horas decentes (19h-21h) porque eu sou um cão que se deita cedo, mas penso que não é de alterne. É conforme as marés...

caniche vagabundo disse...

Em breve, o meu dono vai pôr, no Youtube, o vídeo que fez sobre o "Hamburgo".
Depois eu anuncio no blog...